SUPER FM - A rádio que vive o vale

Professores são impedidos de formalizarem o Sindieducar

Juliano César  Juliano César      quinta-feira, 7 dezembro 2017      EM: EDUCAÇÃO - EDUCAÇÃO  

Impedidos de formalizarem o Sindieducar em São João Batista, os professores de Educação da cidade informam que o objetivo de constituir um sindicato próprio e que os represente de forma legal e transparente ainda está de pé. A Assembleia Geral estava marcada para o sábado, 25 de novembro, porém no momento de fundação do Sindieducar, […]

Impedidos de formalizarem o Sindieducar em São João Batista, os professores de Educação da cidade informam que o objetivo de constituir um sindicato próprio e que os represente de forma legal e transparente ainda está de pé.

A Assembleia Geral estava marcada para o sábado, 25 de novembro, porém no momento de fundação do Sindieducar, uma advogada de um outro sindicato da área, o Simproesc – Sindicato Intermunicipal dos Professores no Estado de Santa Catarina – em companhia de uma profissional do Cartório impediram a realização da assembleia, após conseguirem uma liminar no Judiciário. Caso isso ocorresse, uma multa seria aplicada.

De acordo com o advogado do Sindieducar, Guilherme Cavichioli Braun, sempre que há a fundação de um sindicato local, os regionais estão atentos e dificultam que isso ocorra. “Eles querem é que se sindicalizem de forma regional, pois acabam perdendo poderio financeiro”, explica.

Segundo o advogado, devido a uma portaria do Ministérios do Trabalho, eles conseguiram inviabilizar, a princípio, a fundação do Sindieducar. “Vamos rever alguns conceitos, mudar alguns pontos, para adotarmos uma nova estratégia e, desta forma, possamos fundar o sindicato”, analisa o advogado.

De acordo com o professor Deivid Herart, em janeiro eles voltarão a se reunir para a fundação do Sindieducar. “Os nossos trabalhos continuam. Vamos fundar, sim, para termos uma representação legal”, informa.

Prestação de Contas

Para a criação do sindicato, uma campanha de arrecadação realizou-se junto aos professores, sendo que cada um contribuiu com R$ 25. No total, foram arrecadados R$ 5.175,00. Desse montante, duas parcelas já foram pagas de honorários advocatícios (ainda resta uma parcela), R$ 1,399,89 de publicação no Diário Oficial da União, além de R$ 130 ao jornal Correio Catarinense.

Já existe uma prévia com os próximos gastos no processo de  criação do Sindicato: os pagamentos da terceira parcela do advogado. Sobre receitas, ainda este mês será recolhido uma terceira contribuição espontânea de R$ 10 para custear gastos com as publicações do novo Edital.

Ouça a Reportagem