SUPER FM - A rádio que vive o vale

Refazendo a ponte

  Jabson Alexandre      terça-feira, 16 fevereiro 2016     

Lembro-me como se fosse hoje as palavras proferidas pelo vice-prefeito Hélio Peixer: “Vou construir uma ponte entre a câmara e a prefeitura”. A célebre frase foi ecoada durante a sua posse como chefe do executivo em sessão da câmara de vereadores no início de 2014, quando do afastamento do Prefeito Daniel Cândido pelo poder legislativo. […]

ponttLembro-me como se fosse hoje as palavras proferidas pelo vice-prefeito Hélio Peixer: “Vou construir uma ponte entre a câmara e a prefeitura”. A célebre frase foi ecoada durante a sua posse como chefe do executivo em sessão da câmara de vereadores no início de 2014, quando do afastamento do Prefeito Daniel Cândido pelo poder legislativo. A expressão figurada de Peixer era uma tentativa de aproximar os dois poderes que viviam em pé de guerra deste o fim das eleições de 2012.

Bom, Hélio que imaginava gozar de um longo mandato acabou ficando apenas alguns dias sentado na cadeira de prefeito. Daniel reverteu o processo do seu afastamento, reassumiu a prefeitura, e imediatamente tratou de derrubar a ponte que o pobre do vice-prefeito recém acabara de construir. “Não é necessário ponte alguma. A prefeitura fica aqui ao lado, e só eles atravessarem a rua”, disse Cândido em entrevista a uma emissora de rádio local. Só faltou mandar o vice-prefeito plantar mandioca.

A chapa ficou quente e partiu. Hélio se sentiu diminuído e menosprezado e acabou se afastando da atual gestão. O PMBD que colocara Daniel no cargo, agora estava dividido, alguns com Peixer, outros não. Depois disso, o atual prefeito conseguiu se indispor até mesmo com o homem cuja foto é a que aparecia na urna eletrônica, e que indiretamente lhe deu os votos nescessários para a vitória em 2012 – Laudir Kamer, o Alemão. Estaria Daniel cuspindo no prato que comeu? Queria Daniel exterminar o partido que lhe garantiu a vitória para se livrar das cobranças e do domínio da cacicagem Emedebista?

O certo disso tudo até agora é que o Prefeito pessedista fez uma verdadeira faxina no PMDB. Cândido articulou as eleições para a escolha da nova executiva da sigla aliada, botou para correr a velha guarda e reestruturou o ex-partido de Nonga, colocando ali pessoas de sua confiança e de seu domínio.

ponte-quebradaMas o tempo passa e na política muitas vezes uma verdade ou mágoa não dura mais do que uma conveniência. Sim, as eleições estão chegando novamente, e Daniel, talvez instruído por seus lobos ou lobistas, esta tentando reconstruir a ponte. Não aquela de Hélio que ligaria a Câmara de vereadores á prefeitura, mas sim, a ponte que poderá levar o atual prefeito da terra do calçado a uma reaproximação do agora ex-amigo Alemão, e consequentemente á sua reeleição em outubro deste ano.

Daniel talvez tenha percebido que a velha guarda emedebista pode estar meio embolorada mas não esta morta.  Hélio Peixer e demais dinossauros do `15´ ainda tem muitos votos, e é nestes votos que Cândido esta de olho.

A ponte esta sendo reconstruída.  Se Daniel e Hélio vão atravessa-la de mãos dadas só o tempo dirá. De qualquer forma, Hélio Peixer deve estar pensando – Daniel já destruio esta passagem uma vez e pode voltar a aprontar, e se for para novamente me derrubar, que pelo menos ele caia junto agora.