SUPER FM - A rádio que vive o vale

Trabalhadores de cerâmicas e olarias terão 3,75% de reajuste

Redação  Redação      quarta-feira, 20 fevereiro 2019      EM: SALÁRIO - ECONOMIA  

Negociação encerrada. Está definida a nova Convenção Coletiva de Trabalho das cerâmicas e olarias de Canelinha e São João Batista. O acordo foi fechado entre as entidades que representam os empresários, Sincervale, e os empregados, Sintricomb, na sexta-feira, 15. As regras passam a valer a partir deste mês e tem vigência até 31 de janeiro […]

Negociação encerrada. Está definida a nova Convenção Coletiva de Trabalho das cerâmicas e olarias de Canelinha e São João Batista. O acordo foi fechado entre as entidades que representam os empresários, Sincervale, e os empregados, Sintricomb, na sexta-feira, 15. As regras passam a valer a partir deste mês e tem vigência até 31 de janeiro de 2020.

Em relação aos valores salariais, ficou acertado que os empregados receberão reajuste salarial de 3,75%. O valor é referente ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado nos últimos 12 meses.  Algo próximo do que definiram os trabalhadores em assembleia realizada no dia 21 de janeiro, quando aprovaram pedido de 5% de aumento nos salários.

Além da definição sobre o percentual de reajuste salarial, outras mudanças farão parte da nova CCT. Uma delas é o reajuste no valor do prêmio frequência, pago pelas empresas aos empregados que não faltarem durante o mês. O valor passa a ser de R$ 105,00.

Definidos valores dos pisos salariais

Com o percentual de aumento salarial, também foram reajustados os valores dos pisos salariais da categoria. O do profissional passa a ser de R$ 1.644,47, ou R$ 7,47 por hora. Já o de servente terá o valor de R$ 1.247,82, ou 5,66 por hora. Também houve reajuste no valor da mensalidade paga pelos associados, aprovada na assembleia de janeiro pelos próprios trabalhadores, que passa de R$ 19,00 para R$ 22,00.

A CCT 2019-2020 ainda manteve todas as demais cláusulas já acertadas entre representantes dos empresários e dos trabalhadores. Uma delas é a obrigatoriedade de todas as empresas do setor de contratarem seguro de vida no valor mínimo de R$ 12.000,00 mil por empregado.

“Conseguimos fazer uma negociação um tanto quanto tranquila, na qual conseguimos avançar em algumas partes e manter, ao mesmo tempo, as cláusulas que tínhamos negociado ano passado. O que é muito importante, pois conseguimos ampliar uma que entendemos ser muito importante para a segurança e saúde do trabalhador”, destaca o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque e região (Sintricomb), Izaias Otaviano.

A cláusula estabelece que as empresas do setor deverão realizar treinamento de normas de segurança aos empregados, com prazo estipulado para a regularização dos casos flagrados à margem da lei.

A negociação foi firmada e assinada pelo presidente do Sintricomb, Izaias Otaviano, e pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Cerâmicas e Olarias para indústria da Construção do Vale do Rio Tijucas (Sincervale), Aloir Alecio Dias.