SUPER FM - A rádio que vive o vale

Descendentes dos pioneiros italianos se reúnem em SJB

Redação  Redação      quinta-feira, 7 junho 2018      EM: COLÔNIA NOVA ITÁLIA - CIDADE  

O salão de festas da Igreja São José, em Colônia Nova Itália, no município de São João Batista, às 9h30min de sábado, 9/6, sedia a I Assembleia Geral Ordinária da Associação dos Descendentes e Amigos do Núcleo Pioneiro da Imigração Italiana no Brasil – ADANPIB. O local é sede da pioneira colônia de italianos no […]

O salão de festas da Igreja São José, em Colônia Nova Itália, no município de São João Batista, às 9h30min de sábado, 9/6, sedia a I Assembleia Geral Ordinária da Associação dos Descendentes e Amigos do Núcleo Pioneiro da Imigração Italiana no Brasil – ADANPIB.

O local é sede da pioneira colônia de italianos no Brasil, fundada em 1836, com a mesma denominação, por 132 imigrantes católicos vindos do Reino da Sardenha, iniciativa do médico Henrique Ambauer Schutel e do agente consular do Reino da Sardenha Carlo Demaria e que teve como primeiro administrador o comerciante suíço-francês Luc (Lucas) Montandon Boiteux (Neuchâtel, Suíça, 1798 – Desterro/SC, 29 de março de 1842),  patriarca da família Boiteux no Brasil.

Dos nove itens constantes da Ordem do Dia do Edital de Convocação, ao lado de questões legais, destacam-se a “definição da data e das atrações da anual Festa Italiana promovida pela ADANPIB”, o “informe do Movimento “SC Requer a Correção do Erro Histórico” e o planejamento estratégico “objetivando perenizar a difusão da cultura italiana no município de São João Batista, Berço da Imigração Italiana no Brasil, com ênfase na propagação do idioma e da história, passos para a celebração do Bicentenário da Imigração Italiana no Brasil (Colônia Nova Itália: 1836 – 2036)”.

As pessoas interessadas são convidadas a participar da Assembleia. Outras informações podem ser obtidas com o Presidente da ADANPIB, José Sardo, 48 3717 5399 – ramal 561, ou com o historiador Paulo Vendelino Kons 47 9 9997 9581.

Entenda melhor!

ERRO HISTÓRICO PRATICADO pelo Congresso Nacional e pela Presidência da República contra Santa Catarina acerca do pioneirismo da colonização italiana no Brasil:

A lei federal nº. 13.617/2018, sancionada pelo presidente Michel Temer em 11 de janeiro de 2018 e publicada no Diário Oficial da União de 12 de janeiro passado,  atribui, equivocadamente, ao município de Santa Teresa, no Espírito Santo, o título de “Pioneiro da Imigração Italiana no Brasil”, que de fato pertence a Colônia Nova Itália, no município de São João Batista, em Santa Catarina.

Fundada em 1836 no Vale do Rio Tijucas-grande, a Colônia Nova Itália, no atual município de São João Batista, é inequivocamente o Berço da Imigração Italiana no Brasil.

Os 186 pioneiros imigrantes italianos, que viriam colonizar e desenvolver terras brasileiras, aportaram, em março de 1836, na baía norte da Ilha de Santa Catarina, no porto do Desterro, transportados pelo navio Correio.

E 132 destes imigrantes fundaram a Colônia Nova Itália, a pioneira da imigração italiana no Brasil, que ao longo de décadas recebeu também outras levas de imigrantes italianos.

A colonização italiana no Espírito Santo ocorreu 37 anos e 11 meses após, a partir de 21 de fevereiro de 1874, quando o navio La Sofia chegou a porto de Vitória, com 388 camponeses de língua italiana do império austro-húngaro e vênetos.