SUPER FM - A rádio que vive o vale

Saúde adota substituição temporária da Pentavalente

Redação  Redação      domingo, 12 janeiro 2020      EM: VACINA EM FALTA - SAÚDE  

A distribuição de Vacina Pentavalente deve ser normalizada até março, de acordo com o Ministério da Saúde. Está é a informação que muitos pais de Tijucas, bem como de todo Brasil, esperavam ouvir após a Vacina Penta passar por um período de indisponibilidade na Rede Pública de Saúde. Pensando em esclarecer a situação e orientar […]

A distribuição de Vacina Pentavalente deve ser normalizada até março, de acordo com o Ministério da Saúde. Está é a informação que muitos pais de Tijucas, bem como de todo Brasil, esperavam ouvir após a Vacina Penta passar por um período de indisponibilidade na Rede Pública de Saúde.

Pensando em esclarecer a situação e orientar os pais, o Governo Federal, através do Ministério da Saúde, divulgou uma nota na última semana. O documento afirma que a indisponibilidade da vacina ocorreu devido a um desvio de qualidade.

Recentemente, foram recebidas doses da Vacina Penta que se encontram em processo de liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para então passarem por testes de qualidade pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Após a liberação, a vacina será distribuída para a rede do Sistema Único de Saúde.

Solução Temporária

A nota do Ministério da Saúde afirma que considerando a situação epidemiológica da Coqueluche no Brasil na qual, até dezembro de 2019, foram confirmados mais de 1.300 casos no País distribuídos em praticamente todos os Estados, foi necessário adotar um esquema temporário para proteção das crianças menores de um ano de idade até que seja normalizada a distribuição da vacina penta.

De acordo com a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), como solução provisória, as crianças devem substituir uma das doses do esquema de imunização por uma combinação da vacina adsorvida que protege contra difteria, tétano e coqueluche/pertussis (DTP) com o imunizante contra hepatite B (HB).

Acompanhe como funcionará:

1.Crianças menores de um ano de idade com início de esquema (aos 2 meses), aplicar DTP + HB e complementar esquema (segunda e terceira doses) com penta.
2.Crianças que iniciaram o esquema com penta, fazer segunda dose com DTP + HB e complementar esquema (terceira dose) com penta.
3.Crianças com duas doses de penta, complementar esquema (terceira dose) com uma dose de DTP + HB.
4.Para todas as situações acima, o reforço com penta aos 15 meses é recomendado.

“A Vacina DTP (Tríplice Bacteriana) estava indisponível em todos os Estados, mas o Ministério da Saúde reabasteceu todas as unidades de vacina em dezembro de 2019. Após a regularização dos estoques com a Vacina Pentavalente, deve ser suspensa a orientação acima e recomenda-se seguir as normatizações técnicas com a referida vacina de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação definido pelo Programa Nacional de Imunizações”, explica a enfermeira Elenise Zimmer dos Santos, coordenadora da Vigilância em Saúde de Tijucas.